Visual Law: saiba como essa ferramenta pode te ajudar no mundo jurídico!

Tempo de leitura: 7 min

Escrito por lucas
em novembro 29, 2022

Visual Law é um conceito relativamente moderno e que veio para mudar o cenário jurídico. Seu objetivo é tornar os documentos legais mais compreensíveis para todas as pessoas.

Para isso, é utilizado ilustrações, ícones, tabelas, mapas visuais e outros elementos gráficos que tornam as informações mais claras.

Não é à toa que diversas empresas, como uma fabricante de chapa expandida e escritórios de advocacia estão começando a investir nesse modelo.

No entanto, é preciso lembrar que esses elementos gráficos devem ser usados ​​com moderação e sempre dentro do contexto do documento ou seção inserida.

Legal design nada mais é do que a aplicação de ferramentas, princípios e elementos de design ao conceito de um produto ou serviço legal.

O objetivo específico desta ação é justamente melhorar a experiência do usuário acima mencionada, de modo a facilitar a compreensão das informações e dados contidos nos documentos.

Se no design objetos e produtos como mochila promocional, são criados e transformados para atender às suas funções pretendidas e solucionar problemas. 

Então no design legal um documento legal deve seguir as normas técnicas pré-estabelecidas pelo judiciário para sua produção.

O que significa Visual Law?

Visual Law é um desdobramento do Legal Design que tem como foco o conteúdo produzido por advogados em um espaço de trabalho compartilhado.

Espera-se que através do Visual Law que itens elaborados por profissionais do direito como petições, artigos, pareceres, relatórios e outros documentos, sejam produzidos de forma mais simples e acessível de acordo com cada destinatário.

As pessoas assinam contratos sem entender, recebem intimações sem entender o que precisam fazer, as partes em julgamentos não conseguem decidir se ganharam ou perderam, entre diversas outras situações que podem ser facilmente compreendidas.

Pode parecer uma coisa muito comum, e muitas vezes sim, os advogados aprendem a escrever as peças de forma rebuscada e pouco atraente. Afinal, o ensino de direito ainda é muito tradicional e pensar “fora da caixa” é menos incentivado em ambientes jurídicos.

Portanto, se ainda existe uma certa resistência à implementação da lei visual na vida profissional, é preciso estar ciente da crescente prevalência que o design tem na vida cotidiana principalmente em negócios de persianas verticais personalizadas.

Então é preciso buscar entender como a visual law pode melhorar a qualidade do trabalho jurídico e facilitar o entendimento das informações jurídicas por parte dos clientes e servidores do judiciário e demais órgãos competentes.

Qual o objetivo do Visual Law?

Atualmente o Visual Law (traduzido como Lei Visual) vem sendo mais usado, mas em outras oportunidades, a lei tem usado outras ferramentas como o marketing digital legítimo para facilitar o acesso à justiça.

No entanto, vale ressaltar que profissionais do direito e do judiciário utilizam esses métodos visuais para:

  • Democratizar o acesso a conteúdos de justiça;
  • Agilizar o trâmite processual;
  • Diminuir o tempo de realização dos processos;
  • Realizar mais negociações amigáveis.

Além disso, esta é uma área que faz uso intenso de inovações tecnológicas como assinaturas digitais, certificados digitais e uso intenso de APIs, e engana-se quem pensa que é possível viver no passado só porque é uma carreira tradicional.

Os principais recursos do Visual Law

Como citado anteriormente, o direito visual utiliza elementos visuais para transmitir informações e informações jurídicas. Mas o uso de elementos visuais não deixará o trabalho com aspecto infantil ou perderá a sua seriedade.

Ao contrário, o Visual Law se propõe simplesmente a fornecer uma visão mais dinâmica e compreensível do assunto para facilitar a compreensão da informação pelo público final, seja ele o cliente, outra parte, INSS, peritos ou até mesmo juízes.

Um advogado que sabe utilizar elementos do direito visual está um passo à frente do mercado e impressiona quem lê seus trabalhos e petições justamente por saber usar o design e a tecnologia a seu favor.

Com o Visual Law, então, é possível comunicar uma mensagem de forma mais rápida e eficaz. Vários tipos de elementos visuais podem ser usados. Abaixo, será possível ver alguns principais elementos que são utilizados nessa estratégia:

  • Fluxogramas e organogramas;
  • Vídeos;
  • Gráficos informativos;
  • Storyboards;
  • Pictogramas;
  • Bullet points.

Esse tipo de elemento em textos e materiais informativos tem se tornado muito comuns, principalmente após a aprovação da LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) e também em materiais relacionados à própria lei.

Qual a importância do Visual Law para a advocacia?

Possivelmente, o ponto mais importante dessa estratégia é a democratização da informação. Ao focar em recursos visuais, os termos jurídicos podem ser evitados onde maior clareza é necessária.

Por exemplo, ao ler contratos ou documentos enviados a não profissionais e também pode ser usado para os alunos estudarem.

O conceito quebra as barreiras entre quem entende a informação e a própria informação, evitando mal-entendidos e simplificando a comunicação.

Da mesma forma, tornou-se uma estratégia para modernizar o direito, trazendo mais pessoas para a área, assim como para as empresas de caldeiraria de inox.

Muitos ainda veem o direito como um campo tradicionalista e totalmente fechado, porém, quando confrontados com abordagens, podem avaliar seus pontos de vista.

Eles perceberam como o direito tradicional pode ser combinado com tecnologia e recursos modernos. A Visual Law também ajuda na redução de problemas e situações que criam problemas legais.

Porque serve para tirar dúvidas, tem finalidade didática, pode orientar as pessoas. Contratos, petições, termos de uso e outros tipos de documentos ficam mais fáceis de ler e com mais fluidez, sem dúvidas ou lacunas.

Por que os advogados devem usar o Visual Law?

Na construção de qualquer obra, o profissional do direito precisa seguir diversas técnicas, inclusive relacionadas ao conceito de semiótica.

O tipo de idioma, as informações relevantes, cores apropriadas, estilo e resumos são aspectos a serem considerados ao criar conteúdo legítimo.

Diante desse cenário, desde 2017, inovadores da área jurídica passaram a entregar projetos que trazem alguns conceitos de design e direito visual de forma intuitiva.

Atualmente, de acordo com o conceito de design, já existe tecnologia suficiente para todo tipo de atividade e projeto desenvolvido pelos futuros advogados.

Um movimento que aborda essas novas práticas é o Legal Design, que tem o direito visual como um de seus subcampos, o mesmo vale para empresas de decoração que trabalham com gesso drywall teto.

Visual Law é o nível final de preparação para profissionais do direito. É ele quem define a forma como o conteúdo é entregue, simplificando a comunicação e tornando-a mais eficaz e acessível.

Principais vantagens do Visual Law

Um dos principais benefícios do Visual Law para profissionais do direito é a capacidade de se concentrar mais na promoção do acesso à justiça e ao direito.

O método visual tem vários cases de sucesso no Brasil. Antes da iniciativa Visual Law, 40% dos clientes não tinham contato antes de entrar com uma ação judicial.

Com novas estratégias, as empresas de tenda de lona grande conseguiram atingir um índice de desjudicialização de 98,9%. Ou seja, pouquíssimos clientes recorrem à Justiça, conseguem uma solução mais fácil e rápida para seus problemas e garantem seus direitos.

A organização visual dos dados permite que conteúdos densos, excessivamente técnicos, conteúdos com linguagem jurídica, sejam apresentados em um formato simples que facilite a leitura e interpretação dos dados.

Assim como pode ser utilizado por uma pequena fornecedora de doces eventos os advogados podem contar códigos QR em formato de uma página, gráficos, imagens, contratos visuais são apenas algumas das possibilidades do design jurídico.

Essa nova camada de comunicação e inteligência visual no ambiente jurídico proporciona maior clareza e facilita a leitura e interpretação do conteúdo, facilitando o acesso à justiça e ao direito.

Usando a tecnologia, os profissionais jurídicos podem organizar, produzir e disseminar informações visuais. Isso é necessário para facilitar o acesso e inclusão de conteúdos jurídicos já que a linguagem é muito técnica.

Portanto, o desafio para os futuros advogados é organizar as ideias em termos de pensamento visual. Assim, ele poderá apresentar informações em forma de infográficos, gráficos e tabelas, auxiliando o leitor na absorção dos dados.

Em suma, a clareza no material visual é uma das melhores estratégias para promover o acesso à justiça. Vale ressaltar que a tecnologia também pode ser utilizada para produção de conteúdo para marketing legítimo.

Considerações finais

Alguns advogados já aplicam o método visual na prática. Aliás, como todas as novidades, estas tecnologias poderão ser rejeitadas por alguns magistrados que resistirão aos elementos visuais.

Mas é inegável que o excesso de processos, aliado à falta de tempo dos juízes para apreciar tudo, exige um novo olhar dos advogados. E é aí que o Visual Law entra para auxiliar, melhorando a eficiência de tempo em que as informações são dadas e absorvidas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade