Por que não é recomendado ferver o café?

Tempo de leitura: 2 min

Escrito por admin
em março 21, 2022

Entenda como a temperatura influencia em propriedades do grão e altera características como aroma e sabor.

Embora o café seja a bebida mais consumida no mundo, não é qualquer um que sabe prepará-lo da forma correta. Existem várias técnicas — e uma não é necessariamente melhor que a outra —, mas algumas regras devem ser seguidas, independentemente do processo. Não ferver o café é uma delas.

Por mais que você escolha um café de qualidade, o que também é fundamental para uma boa experiência de degustação, ferver não é uma boa ideia — nem a água pura, muito menos a água com açúcar ou com o pó de café dentro.

O principal motivo é que quando a água ferve ela elimina oxigênio e esse elemento é importante para o preparo do café, pois interfere na correta extração dos grãos. A água muito quente pode queimar o pó, deixando-o mais amargo e fazendo com que ela perca algumas de suas nuances.

A água também não pode estar fria demais, caso contrário também não vai conseguir extrair todos os compostos daquele café. É por isso que os baristas recomendam que a água esteja entre 80 e 90 ºC.

Se você utiliza um termômetro na cozinha, pode medir até que se sinta seguro, mas, se não tem essa ferramenta, não se preocupe. A água geralmente está nessa temperatura quando começa a formar bolhas, pouco antes da fervura. Nessa hora, desligue o fogo e coe o seu café.

Não coloque o açúcar na água

Muitos especialistas em café dizem que a bebida não deve ser adoçada, pois isso atrapalha a experiência. No entanto, se você prefere o café com açúcar ou adoçante, o que importa é o seu gosto. Nesse caso, cuidado para não cometer um erro comum: colocar o açúcar na água que vai ao fogo.

O motivo é parecido com a explicação acima sobre por que a água não deve ferver. A interação com o açúcar atrapalha a extração perfeita do seu grão. Deixe para adoçar quando o café estiver pronto, de preferência já na xícara. Aí pode adoçar conforme a sua preferência.

Se for usar ingredientes especiais para finalizar a sua bebida, como canela, chocolate, gengibre e chantilly, vale a mesma regra. Coloque por cima, no final do processo.

A água faz diferença

Outro erro muito comum na hora de coar o café é usar água da torneira. Muita gente faz isso pensando que a água será fervida e, portanto, será potável, o que acabamos de ver que não deve ser feito. Mas não é só isso: a água da torneira costuma conter resíduos que afetam o sabor do café. 

O ideal é utilizar água filtrada ou mineral. A água deve ser colocada devagar, de preferência em movimentos circulares para entrar em contato de maneira igual com toda a superfície onde está o pó. Se o seu café sair ralo e o problema não for a quantidade de pó, provavelmente você está colocando a água rápido demais.

Até a distância entre a chaleira (ou a panela onde está a água) e o coador importa. O ideal é que a água seja despejada bem próxima ao coador para que não esfrie no percurso ou entre em contato somente com a superfície do pó, já que chega com maior velocidade. Um dos segredos do processo é ser lento.

Requentar nem pensar

Requentar o café quando ele esfria ou, se for fazer na cafeteira, deixar o aparelho ligado para manter o café quente também não são boas ideias. Os processos geram oxidação, que afeta o sabor e o aroma da bebida. O ideal é tomar fresco, assim que acabar de passar. Não é por acaso que assim é mais gostoso.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade