Porquinho-da-índia: Confira dicas de cuidados, alimentação e saúde

Tempo de leitura: 7 min

Escrito por gabriel
em setembro 14, 2022

Considerado como um dos animais mais adorados, o porquinho-da-Índia é um roedor que, assim como os cães e os gatos, requer cuidados para que a sua criação dentro de casa ou apartamentos seja tranquila. 

Como todo animal que convive com humanos, o manuseio e a alimentação precisam ser acompanhados por um médico veterinário. Dito isso, desenvolvemos este artigo com o intuito principal de auxiliar você no processo de criação do porquinho. Confira:

Como criar

Na natureza, os porquinhos são presas fáceis de outros animais, tornando-se a presa principal. Por esse motivo, o roedor é uma espécie de fácil estresse com instinto de fuga. 

No geral, ter conhecimento sobre as características de um porquinho-da-Índia é tão importante quanto um relatório de impacto ambiental, afinal, é por meio desse conhecimento que você saberá qual a melhor maneira para criar o pet. 

A criação, por si só, é o fator responsável pela expectativa do animal. Quanto melhor for a criação, mais chances ele tem de viver por um longo período. 

Caso contrário, sem uma boa criação, e ausência de um acompanhamento profissional, o porquinho tem sua expectativa de vida reduzida significativamente. 

Para que a criação desses pets aconteça da melhor maneira possível, o ideal é que o local não tenha presença de outros animais predadores, como os próprios cães e gatos. 

Na ausência destes animais, há uma liberdade maior para fazer a criação do porquinho, seja em apartamento ou até mesmo em casa. 

Ou seja, antes de começar a busca pela adoção deste animal, tenha em mente que certos procedimentos devem ser adotados antes mesmo de tê-los em sua casa. É como se você fosse procurar por um fornecedor telha sanduíche, sem ao menos ter a estrutura certa para tal. 

Para os profissionais da saúde animal, o mais indicado é que o local seja tranquilo, sem poluição sonora, e que possa proporcionar boas horas de sono. 

Os cuidados com o ambiente, são os mesmos que são aplicados em ambientes hospitalares, por exemplo, onde há lugares apropriados para os descartaveis cirúrgicos

Em outras palavras, o ambiente do pet além de ser tranquilo e seguro, precisa ter um acompanhamento contínuo no recinto para que a higiene permaneça saudável. 

Talvez você não saiba, mas há ambientes que são altamente prejudiciais para a criação do porquinho-da-índia. Locais úmidos ou que apresentam temperaturas baixas, como o banheiro por exemplo, não sendo o local ideal para criar o pet. 

A cozinha também não é o ambiente mais apropriado, além de locais em que há altas temperaturas, ou que tenha muita ventania.

Na verdade, o ideal é que o porquinho seja criado dentro do domicílio, com a presença de outros porquinhos-da-Índia para fazer companhia.

Além de claro, possuir um acompanhamento médico que possa atender as necessidades do pet, da mesma forma que um profissional de saúde faz ao aplicar o atestado médico ocupacional

Tamanho de viveiro 

Inicialmente, você precisa saber que o tamanho do viveiro irá depender da raça do animal, da idade e da quantidade em que está sendo criada. 

Outro fator importante que precisa ser mencionado, é a rotina do animal. De acordo com a orientação dos profissionais da saúde animal, se o roedor passar mais tempo dentro do cercado, este deverá ser maior quando comparado a animais que passam mais tempo fora deles. 

O fato é que o animal precisa de um espaço considerável para que ele possa fazer suas necessidades fisiológicas, alimentar-se, brincar e dormir. 

Isso reforça ainda mais a ideia de que adotar um porquinho não é apenas pegar o animal para criar, há todo um processo semelhante a um tratamento corona, onde se deve estudar várias questões. 

Para entender melhor sobre a estrutura do recinto do animal, saiba que é proibido os com fundo de arame ou grade, isso porque as patinhas do porquinho são pequenas e frágeis. 

Caso a altura do recinto seja superior a 40 centímetros, não é necessário tampar a gaiola. Contudo, vale a pena ficar atento às crianças e outros animais ao redor. 

Lembre-se, os cuidados com o ambiente do animal devem ser aplicados na mesma intensidade de um laudo técnico de condições ambientais do trabalho, por exemplo. 

Cuidados no manejo

Devido ao fato do porquinho ser um animal com facilidade de se estressar, esses roedores precisam estar em um ambiente calmo, limpo e com alimentação regular de acordo com a orientação do médico veterinário. 

Lembre-se de manter o mais distante possível outros animais que possam feri-los, como os predadores naturais. 

Vale a pena também ficar atento aos fios, tapetes e outros objetos que possam de alguma forma, chamar a atenção desses animais para a ingestão ou outro tipo de acidente. 

Qual a diferença entre o porquinho e o hamster?

Muitas pessoas acham que o porquinho-da-Índia e o hamster é o mesmo animal por conta de suas semelhanças. Mas na verdade, ambos pertencem à ordem de roedores. 

O hamster, por sua vez, é um animal menor quando comparado com o porquinho-da-Índia. Já o próprio porquinho, é um animal maior, tendo a possibilidade de viver até os oito anos de idade. 

Média de tamanho

De acordo com os estudos que já foram realizados sobre o animal, o tamanho do roedor vai depender da raça, podendo variar entre 20 cm a 40 cm. 

Alimentação

A alimentação mais recomendada para animais que são criados em cativeiro, é a ração produzida especialmente para a espécie. Os porquinhos-da-Índia possuem dentes que tendem a crescer por toda a sua vida, e isso na verdade é uma característica dos roedores. 

Por esse motivo, é necessário que o animal faça o desgaste constante desses dentes, para que não ocorra afecções como abcessos dentários, má oclusão dentária, comprometimento ocular, entre outros problemas secundários. 

Para que o desgaste ocorra normalmente, ele deve ser realizado com a ingestão diária e constante de feno de boa qualidade. 

Adicionado ao feno, existem rações comerciais para a espécie, as de melhor qualidade são aquelas que possuem suplementação de vitamina C. 

Contudo, a alimentação do pet não se limita apenas às rações. Ocasionalmente você pode ofertar certas frutas, legumes e verduras. 

Ou seja, antes mesmo de achar que a aplicação de aminoácidos nutrição animal é um alimento essencial para o seu pet, procure um profissional para saber se é possível. 

Usualmente, alguns tutores ofertam demasiadamente um mix de sementes, legumes e frutas que não geram valores nutricionais necessários para a saúde e bem-estar do animal, o que pode ocasionar em:

  • Problemas hepáticos;
  • Problemas renais;
  • Problemas odontológicos;
  • Problemas gastrointestinais. 

Na pior das hipóteses, o animal pode até mesmo vir a óbito. Portanto, a alimentação deve ser acompanhada frequentemente por um profissional, e aplicada corretamente pelo dono dentro de casa. 

O que não deve ser dado?

Os porquinhos são animais herbívoros, portanto, eles não consomem nada de origem animal, como carne, leite ou ovos. Os produtos industrializados também são proibidos na dieta destes animais, como: pães, chocolates, doces e bolachas. 

O que algumas pessoas não sabem, é que algumas frutas e legumes também são proibidos devido ao fato de poderem ocasionar intoxicações e outros problemas no organismo do animal. Evite dar: abacate, aveia, salsa, uva, couve-flor, alface e beterraba. 

Na dúvida, o melhor a se fazer é não oferecer nada de comer ao animal sem o consentimento do médico veterinário. 

Atividades físicas e brincadeiras

Devido ao fato do porquinho-da-Índia ser um animal bastante frágil, é necessário ter cuidado com a altura, força, poluição sonora, movimentação excessiva, odores fortes, insistir em brincar com o animal mesmo ele se recusando, entre outros elementos.

Além das brincadeiras, tenha em mente que os porquinhos preferem dormir em lugares onde há o silêncio absoluto. Além disso, eles preferem ambientes escuros, portanto, quanto mais escuro for, mais a vontade o animal vai se sentir para dar aquela dormida. 

Higienização

Assim como os gatos, os porquinhos são limpos por natureza. Eles estão sempre se limpando, realizando suas necessidades fisiológicas nos lugares adequados e reservados ao restante do ambiente em que vivem. 

Caso o pet falhe na sua higienização, significa que há algo de errado com ele. Se isso acontecer, o mais indicado é procurar por uma ajuda profissional.

Por esse motivo o dono precisa estar presente como se fosse um medidor de vazão de água. Em outras palavras, o acompanhamento é contínuo. 

Além da higienização do próprio porquinho, é necessário se atentar às condições do recinto, com a troca constante do substrato, ambiente arejado para que não seja acumulado odores e manter a água do pet sempre limpa. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade