Ensino híbrido: Quais as chances da sua adesão após a pandemia?

Tempo de leitura: 8 min

Escrito por gabriel
em agosto 8, 2022

O ensino híbrido é uma tendência que veio para ficar, mesmo com as dificuldades iniciais vivenciadas na prática da adaptação ao ensino em função da pandemia do COVID-19.

A relação entre educação e tecnologia se tornou irreversível e foi a solução para que as aulas não fossem interrompidas. Para isso gestores, professores e alunos migraram para modalidades remotas de ensino durante o período de fechamento das instituições de todo o país.

Essa foi uma experiência que mostrou como pode ser positivo a inclusão de tecnologias no dia a dia escolar. Agora, na retomada das atividades, essa aproximação da tecnologia com a escola continua sendo o caminho ideal, inovando o modelo tradicional de ensino.

Neste artigo vamos falar mais sobre o ensino híbrido, caracterizando o que é, quais são os tipos e os benefícios. Acompanhe para conferir.

O que é o ensino híbrido 

Com o passar do tempo o avanço tecnológico traz cada vez mais inovações que melhoram a qualidade de vida das pessoas, como as placas de energia solar fotovoltaica, que por meio delas é possível economizar consideravelmente o custo de energia em sua residência.

E não foi só na área de construção que a tecnologia vem inovando, o ensino por meio da tecnologia se torna uma realidade cada vez mais palpável.

Com as novas tecnologias educacionais, mesclar aulas presenciais com a aulas online se tornou uma prática reconhecida por ampliar conhecimentos.

De forma simples, podemos dizer que essa é a essência do ensino híbrido: optar por uma abordagem metodológica que combina atividades presenciais com o uso de ferramentas digitais.

O ensino híbrido não se resume a disponibilizar recursos tecnológicos aos estudantes, indo muito além disso. É necessário que exista uma mudança de paradigma, entendendo as plataformas digitais como potencializadoras do aprendizado.

Essa só será uma metodologia efetiva quando houver uma combinação intencional entre a sala de aula convencional e os conteúdos produzidos com apoio de ferramentas tecnológicas.

Adotar o método híbrido exige a revisão de algumas práticas tradicionais, mas é possível aplicá-lo nos mais diversos níveis, até mesmo na educação corporativa, em uma empresa de monitoramento ambiental.

Nessa metodologia é valorizado principalmente o papel e a autonomia do estudante, fazendo com que ele contribua efetivamente para a construção do seu próprio conhecimento.

Assim, o professor vira um mentor, que impulsiona os alunos em direção a uma postura crítica. Ocorre o reconhecimento do aprendizado colaborativo, com estímulo ao debate de ideias e a construção de um conhecimento compartilhado. Isso promove áreas como:

  • Competências;
  • Habilidades sociais;
  • Habilidades emocionais;
  • Habilidades cognitivas.

As atividades pedagógicas são realizadas de maneira dinâmica e interativa no ensino híbrido.

Isso gera mais engajamento dos alunos, o que acaba por melhorar e potencializar os resultados acadêmicos. Torna os alunos mais humanos, promovendo ações fora da sala de aula, como o plantio de mudas nativas.

Modelos de ensino híbrido 

As inovações do ensino híbrido podem ser divididas em modalidades, conforme seus objetivos pedagógicos. Falaremos a seguir sobre algumas práticas mais específicas, que podem tanto seguir as características do modelo tradicional, quanto serem mais disruptivas.

Rotação por estações 

Nesse modelo os estudantes realizam diferentes atividades em estações, no espaço da escola ou da sala de aula. A proposta por trás dessa ideia é que os alunos circulem entre as diferentes estações aprendendo o conteúdo de cada uma delas.

Dessa forma, cada estação tem um objetivo específico vinculado ao objetivo central de cada aula.

Os alunos irão circular aprendendo todo o conteúdo. Cada estação pode contar com recursos variados para potencializar o aprendizado, como vídeos ou textos.

Para enriquecer ainda mais a experiência do aluno, inserir recursos de experimentação pode ser um grande aliado. Existem as Cloud Labs, que são laboratórios virtuais que estimulam os estudantes a vivenciarem a ciência de forma criativa e desafiadora.

Os alunos podem interagir com materiais e reagentes de forma segura e potencializar aprendizados de química, física e biologia, e até tenham noção sobre cabeamento estruturado empresas.

Laboratório rotacional  

Já essa metodologia considera a alternância de caminhos para se chegar a uma mesma conclusão. Nesse modelo é proposto que os alunos se revezam entre espaços para atividades teóricas e práticas.

Dessa forma os estudantes usam tanto o espaço da sala de aula quanto o laboratório online, por exemplo.

De forma prática, um grupo de alunos fica em sala de aula com o professor enquanto o outro se dedica a aprender sobre consultoria técnica ambiental, por exemplo. Depois de um período, as turmas se invertem, propiciando todas as experiências para todos os alunos.

Sala de aula invertida 

Nesse modelo a lógica tradicional do ensino é invertida, ou seja, ao invés de esperar passivamente que o professor explique a matéria, o aluno estuda previamente o conteúdo e o aprendizado se concretiza com o apoio do professor e as trocas.

Para trazer esse formato em sala de aula, você pode investir em uma série de materiais, como:

  • Vídeos;
  • Slides;
  • Textos;
  • Outros materiais educativos.

Para efetivar esse formato é preciso que todo o conteúdo seja disponibilizado em um ambiente online.

Dessa forma os alunos podem acessar no seu tempo, de onde estiverem e quantas vezes quiserem. Existem plataformas digitais que contam com recursos variados indicados para alunos de cada um dos segmentos e idades.

É interessante uma plataforma que faça a curadoria dos materiais diversos, entre os mais diversos temas que podem ser aprendidos, como selos mecanicos duplos.

Também é importante que a plataforma forneça relatórios de desempenho dos alunos, especificando seus resultados, quais são seus pontos fortes e onde precisa de melhoria, permitindo uma personalização das estratégias de ensino.

Os benefícios do ensino híbrido 

Além de seu dinamismo e atratividade, as práticas híbridas estão alinhadas às premissas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que já prevê o uso de tecnologias educacionais na aprendizagem.

De forma independente do tipo de ensino híbrido escolhido, esses modelos trazem benefícios comprovados para os alunos e para as instituições de ensino.

Todas as partes do processo, tanto o online quanto o presencial, proporcionam um enriquecimento da aprendizagem. Vamos falar de alguns benefícios que merecem destaque quando comparados ao modelo tradicional de ensino. Confira

  1. O aumento do engajamento dos alunos 

O ensino híbrido torna aquelas longas aulas expositivas coisas do passado, abrindo espaço para metodologias mais próximas do interesse e do perfil do aluno.

São usados recursos como gamificação, trilhas de aprendizagem e recursos de experimentação. Esses são exemplos de práticas que expandem as possibilidades, trazendo questões reais para o cotidiano do estudante.

  1. O desenvolvimento da autonomia dos estudantes 

Partindo de um planejamento pedagógico elaborado pelo docente, é o próprio estudante que conduz seu percurso de aprendizagem.

A intenção é estimular a proatividade, o senso de responsabilidade e a autodisciplina, maximizando o aproveitamento dos alunos na assimilação dos conteúdos, sejam eles concurseiros ou até mesmo funcionários da sua empresa de mobile promocional em um treinamento.

  1. Uma nova relação professor-aluno

No ensino híbrido, o professor é desvinculado de um papel centralizador do processo de aprendizagem. Como pontuamos, o aluno tem autonomia, saindo de um papel de um ouvinte passivo, e se tornando efetivamente responsável pela construção do seu conhecimento.

Dessa forma o planejamento didático do professor pode ser melhor aproveitado e otimizado pela ação dos próprios alunos. 

  1. Um diferencial competitivo para a escola 

Um fato não pode ser discutido: investir em metodologias adaptadas às novas gerações faz com que as instituições de ensino estejam um passo à frente dos concorrentes.

Aposte em propostas pedagógicas inovadoras, onde é possível que os alunos interajam até mesmo com equipamentos de controle ambiental durante as simulações, trazendo sempre mais conhecimento.

Pode ter certeza que essas propostas são diferenciais competitivos, sendo características únicas de uma escola para a escolha dos pais e responsáveis.

Considerações finais

Com a pandemia e o fechamento de todas as instituições do país, com a interrupção das atividades presenciais, a educação a distância foi a melhor opção das escolas para minimizar os impactos no ensino.

Com plataformas de estudos e ensino online, permitiu-se que se prosseguisse o ano letivo, apoiado também pelas legislações educacionais do país.

O retorno das atividades presenciais vem se intensificando cada dia mais, mas para que isso aconteça de forma segura, são dadas algumas recomendações. As práticas escolares, por exemplo, devem seguir um sistema de rodízio, evitando aglomerações e possíveis contágios.

Isso demanda das instituições práticas híbridas de ensino, com a combinação de aulas presenciais e remotas. Mas vale ressaltar aqui que essa modalidade de ensino não é uma novidade, pois algumas instituições já realizavam disciplinas em ambiente online e offline.

Isso permite experiências mais enriquecedoras para o processo de ensino-aprendizagem e aumenta o engajamento dos alunos.

A proximidade com a tecnologia durante a pandemia trouxe mais luz sobre essas práticas, e se antes o ensino híbrido já era uma tendência, agora ele é algo que veio para ficar.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade