Dentes sensíveis? Descubra as causas e o que fazer

Tempo de leitura: 4 min

Escrito por admin
em agosto 24, 2021

As dores intensas e passageiras que costumam aparecer durante o consumo de alimentos demasiadamente frios ou quentes, são bastante comuns no dia a dia dos pacientes de todo o país. Na verdade, estima-se que atualmente cerca de 70% dos brasileiros sofram com dentes sensíveis.

Essa condição é fonte de diversas inconveniências e desconfortos na rotina das pessoas, podendo acarretar em complicações sérias nas estruturas dentais. 

Por isso, além do problema precisar ser tratado corretamente, é fundamental que os pacientes saibam evitar todas as possíveis causas.

O que causa a sensibilidade?

A hipersensibilidade dentária costuma aparecer quando existe algum tipo de desgaste nas estruturas externas dos dentes – conhecido como esmalte dental. 

Assim, os tecidos nervosos e a polpa ficam expostos aos alimentos, bebidas e às ações bacterianas.

No entanto, os problemas com a saúde das gengivas também podem acabar provocando esse tipo de desconforto bucal, pois as doenças que acometem esses tecidos costumam resultar na exposição da raiz do dente, por meio da retração gengival.

Ambas essas ocorrências são originadas por situações como:

  1. Escovação inadequada

A higienização bucal é a principal forma de manter a integridade das estruturas orais. 

No entanto, a aplicação de técnicas impróprias ou a frequência insuficiente das escovações podem originar diversos problemas que resultam na sensibilidade ou em quadros ainda mais severos.

Deste modo, a aplicação de muita força durante a escovação ou até mesmo a realização dessa limpeza logo em seguida ao consumo de alimentos corrosivos, pode causar danos ao esmalte dentário e até prejudicar tratamentos odontológicos, como a lente de contato dental.

A negligência com o uso diário do fio dental também pode facilitar a formação de placas bacterianas e do tártaro, gerando a sensibilidade nos dentes e inflamações como a gengivite e a periodontia.

  1. Cáries

A ação bacteriana causa a erosão dos dentes e provoca a infecção dessas estruturas, formando as cáries. 

Essa doença – que também pode afetar quem possui as facetas e lentes de contato dental – deixa a dentina e os nervos expostos, suscitando em dores e desconfortos.

Contudo, a lesão provocada pela cárie é capaz de provocar uma dor espontânea quando essa infecção passa a afetar a polpa dentária. 

A dor da pulpite, por sua vez, costuma ser um pouco mais intensa e não precisa, necessariamente, do contato com um alimento para ser provocada – ainda que isso ajude.

  1. Materiais de higiene inapropriados

O uso das escovas de dente com cerdas muito rígidas causam uma abrasão intensa na superfície dentária, danificando tanto o esmalte quanto as facetas de porcelana

Essa rigidez também pode provocar a irritação das gengivas, fazendo com que elas sofram a retração permanente.

Outro produto que sensibiliza os dentes são os cremes dentais com efeito clareador. Esses materiais costumam ser muito abrasivos, por isso, o uso contínuo pode causar desgastes no esmalte dentário.

Assim, é recomendado que os pacientes sempre intercalem esse tipo de pasta com uma que tenha efeito anti-sensibilidade ou que possua flúor em sua composição.

  1. Bruxismo

O bruxismo, ou briquismo, é uma condição parafuncional que afeta os pacientes de todas as idades e é geralmente relacionado aos altos níveis de estresse e ansiedade. Ele consiste no hábito inconsciente de ranger os dentes ou apertá-los em uma mordida forte.

Como esses hábitos costumam acontecer durante o sono, raramente o paciente percebe que o faz, e isso causa problemas sérios às estruturas bucais e aos tratamentos odontológicos, como as facetas de resina ou o implante dentário.

Além de causar a sensibilidade dentária, essa condição pode fazer com que os dentes sejam rachados ou quebrados, aumenta a possibilidade da perda dentária, causa problemas com a articulação temporomandibular, entre outros.

Cuidados individuais e formas de tratamento

Além de todos os problemas e desconfortos citados, a sensibilidade pode ser um sintoma de uma situação mais grave. 

Por isso, o acompanhamento constante com um dentista é essencial para evitar o aparecimento dessas situações e para o tratamento das doenças que possam estar proporcionando dores.

Desta forma, o dentista poderá realizar a limpeza profunda dos dentes, a remoção de cáries, placas bacterianas e do tártaro. Ele também pode:

  • Corrigir as técnicas de escovação;
  • Sugerir materiais de higiene mais adequados;
  • Aplicar o flúor para fortalecer o esmalte dentário;
  • Envernizar o dente nos locais em que há exposição da dentina;
  • Refazer restaurações danificadas;
  • Utilizar lasers terapêuticos.

O profissional pode, inclusive, confeccionar um protetor bucal que impeça que o bruxismo comprometa as estruturas dentais ou, ainda, realizar as manutenções necessárias nos procedimentos odontológicos, como o aparelho dental de porcelana, para garantir a segurança dessas intervenções.

Por isso, é fundamental que todos os pacientes façam, ao menos, uma visita de rotina com um dentista qualificado a cada seis meses. 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Lógica de Mercado, uma rede de conteúdos para alavancar negócios e proporcionar mais qualidade de vida e saúde.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade