Água ou aditivo? Saiba o que usar no radiador

Tempo de leitura: 7 min

Escrito por gabriel
em abril 6, 2022

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.

Compartilhe agora mesmo:

Água ou aditivo? Saiba o que usar no radiador

O radiador é uma das peças mais importantes no funcionamento do motor, visto que ele é responsável por manter uma temperatura ideal no veículo. 

Assim, a adição de água ou aditivo dentro do radiador até pode ser um procedimento simples, rápido e barato de se fazer. Porém, se executado de forma errada pode até fundir o motor do veículo. 

Pelo fato do radiador ser o responsável pela temperatura do veículo, é necessário que alguns cuidados sejam tomados, e esses cuidados estão ligados diretamente com a manutenção preventiva. 

A importância de ter cuidado com o radiador

É preciso pensar que os cuidados de um radiador são como usar uma furadeira pneumática, isso porque essa ferramenta faz com que a pessoa economize tempo e, principalmente, energia elétrica. 

Ou seja, fazer as devidas manutenções de um radiador faz com que você evite certos gastos. Na realidade, esses cuidados na maioria das vezes são ignorados pelos condutores. 

Esse hábito, consequentemente, faz com que o veículo tenha peças comprometidas, principalmente a médio e longo prazo.

Considerando um segmento que trabalha diretamente com veículos, torna-se ainda mais importante ter cuidados com o radiador dos carros, principalmente empresas que trabalham com gestão de frota de veículos e outras áreas correlatas. 

Considerando que estamos em um momento financeiramente delicado devido às consequências do coronavírus, é importante que a manutenção preventiva seja feita em seu veículo para evitar que gastos desnecessários aconteçam.

É certo dizer que, na ausência dos cuidados necessários para prolongar a vida útil de um radiador, naturalmente haverão problemas capazes de fundir o motor. Em outras palavras, a falta de resfriamento adequado é um dos principais motivos para que um veículo desenvolva problemas. 

Esse problema e outros costumam ser observados, principalmente, por empresas que trabalham com locação de veículos, visto que muitas pessoas estão optando cada vez mais por alugar carros para algumas semanas, ou até mesmo um mês completo. 

Ademais, é possível dizer que essa escolha vem acontecendo principalmente pela dificuldade de adquirir um veículo. 

Caso você tenha a infelicidade de fundir o seu motor por falta de manutenção preventiva, o preço médio que é praticado para mandar um motor para retifica gira em torno de R$ 3,5 mil a R$ 5,5 mil reais. 

Portanto, é preciso que você saiba das principais formas de cuidar do seu veículo, visto que as condições financeiras da grande parte dos brasileiros está passando por um momento delicado em decorrência dos efeitos da pandemia causada pelo coronavírus. 

Com esses conhecimentos, você saberá quais partes internas pode aplicar álcool absoluto e outros produtos que podem ser usados para cuidar de um carro.

Devido a tantas dúvidas que as pessoas têm sobre poder, ou não, colocar aditivo na água do radiador, desenvolvemos esse artigo para que tudo seja esclarecido. 

Lembre-se: radiador não é sistema de arrefecimento

Ao contrário do que muitos pensam, o radiador não é responsável pelo sistema inteiro de arrefecimento de um veículo. 

No geral, é importante saber informações verdadeiras independentemente do assunto tratado, seja sobre mitos e verdades sobre licença ambiental, ou sobre as coisas que as pessoas acreditam em relação ao radiador que, na maioria das vezes, não passam de mitos. 

O radiador é, sim, dono do papel mais importante para que a temperatura do carro esteja estável, porém, essa peça é apenas um dos dispositivos que compõem o sistema de arrefecimento. 

Para ser mais direto com você, a refrigeração do veículo é constituída por um ciclo fechado que contém 7 componentes. Sendo que eles são os seguintes:

  • Bomba d’água;
  • Sensor de temperatura;
  • Válvula termostática;
  • Reservatório de água do radiador;
  • Radiador;
  • Aditivo;
  • Ventoinha.

Todos esses componentes merecem uma atenção especial quando o assunto é mecânica de carro, visto que se um deles danificar, pode causar um grande problema na temperatura de um veículo. 

Processo de funcionamento: veja como funciona

Para entender melhor a forma de funcionamento do radiador, pense que ele é como se fosse um sistema de troca de calor. Em outras palavras, é semelhante a um transporte de produtos químicos, onde a empresa responsável assume o papel de levar e trazer a mercadoria. 

O radiador é o responsável por fazer o processo de troca entre o ar e outra substância, um composto líquido, presente em seu sistema fechado. O núcleo do radiador é composto por diversos canais, compostos por tubos de ventilação que desempenham um papel importante.

A construção dos radiadores foi desenvolvida pensando em auxiliar tanto na passagem de ar quanto na transferência de calor. 

Considerando a construção desse tipo de peça automotiva, é certo dizer que quando o condutor não faz questão de cuidar do veículo, incluindo as partes principais de segurança, é comum perceber em um laudo de máquinas e equipamentos ou outro tipo de avaliação que o radiador e outras partes do carro fiquem, visivelmente prejudicadas. 

Naturalmente, esse cenário acaba tornando o trabalho de recuperação do veículo ainda mais difícil. 

Pelos tubos de ventilação que compõem o radiador, a passagem de ar acaba resfriando o calor do líquido de arrefecimento, possibilitando que aconteça uma diminuição na temperatura interna do veículo. 

O processo, por sua vez, é composto por um termostato, posicionado estrategicamente próximo ao motor. 

Conforme o motor começa a acumular calor, o termostato se abre ao atingir uma determinada temperatura, possibilitando que o líquido de refrigeração passe a realizar o processo de trocar do calor. 

Dessa forma, o calor do motor é transferido para a água, o que acaba auxiliando no processo de diminuição da temperatura do motor. A três funções que fazem com que o radiador possa, de fato, funcionar e diminuir o calor de um veículo é:

  • Entrada de ar;
  • Resfriamento do sistema;
  • Saída do ar quente.

Dessa forma, podemos compreender que a combinação de líquido e ar possibilita a liberação de calor gerado pela queima de combustível. 

Água ou aditivo, o que é melhor?

Para responder a pergunta central deste artigo, seremos novamente diretos com você, o ideal é que seja usado água desmineralizada com aditivo no radiador. 

Fazer essa mistura significa que está sendo desenvolvido um fluido de arrefecimento, cuja o principal objetivo é fazer com que o motor do veículo não fique superaquecido. 

Misturar água desmineralizada e aditivo faz também com que a vida útil dos sensores térmicos e das válvulas termostáticas sejam prolongadas. 

Sendo mais específico, o motor costuma operar em uma temperatura média de 100º C, mesma temperatura que a água começa a ser evaporada. 

Já que o motor tende a operar em uma temperatura tão grande, não faz sentido que a água entre em contato direto com o motor, visto que ela precisa se manter em seu estado líquido para fazer efeito na refrigeração. 

Na prática, a aditivo é capaz de aumentar o ponto de ebulição da água de 100º C para cerca de 110º C ou 112º C, impedindo que ela evapore em cidades que costumam ter temperaturas altas, ou com altitudes muito acima do mar.

Ademais, a mesma coisa vale para locais que têm temperaturas extremamente baixas. Da mesma forma que água não deve ebulir a 100º C para cumprir seu papel no sistema, também não deve chegar a temperaturas baixas como 0º C. 

É importante pontuar também que na ausência do aditivo, os componentes e peças metálicas acabam ficando expostos ao efeito corrosivo que a água emite. 

A corrosão do cabeçote é outro fator que merece uma atenção a mais do condutor, visto que ela pode colocar o motor em risco. 

Considerações finais

No geral, os cuidados de um carro devem envolver também cuidados internos, onde a pessoa pode optar por produtos de limpeza profissional para que o aspecto do veículo internamente fique conversado. 

Devemos pontuar também que a negligência com o fluido de arrefecimento pode levar a necessidade de fazer procedimentos ligados à retífica do cabeçote, juntamente com a substituição das velas, mangueiras, juntas, óleo, filtro de óleo e selos de bloco. 

Além disso, é necessário destacar que nunca deve ser utilizado apenas água no radiador, muito menos água de torneira. Para que você faça a reposição do líquido de arrefecimento, é preciso seguir alguns passos para realizar o procedimento corretamente. 

Inicialmente, é preciso fazer esse processo com o motor frio, nunca misturando aditivos diferentes e, preferencialmente, usar o aditivo indicado pelo fabricante do carro. 

Já a troca precisa ser feita mediante a uma limpeza prévia completa no sistema de refrigeração do veículo. 

Portanto, o mais indicado a ser feito é que o condutor do veículo faça uma manutenção preventiva no radiador e em todo o sistema de arrefecimento em um mecânico de confiança. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Compartilhe agora mesmo:

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.