5 fatores que você deve considerar na hora de escolher sua faculdade 

Tempo de leitura: 8 min

Escrito por admin
em setembro 22, 2021

De acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 4 em cada 10 alunos que terminam o ensino médio acabam não ingressando em uma faculdade

Sendo que apenas 48,8% dos jovens com 25 anos ou mais chegaram a concluir a educação básica.  

No entanto, isso apresenta um impasse importante, pois a educação superior é uma das melhores formas de proporcionar a construção de uma carreira profissional estável e o crescimento da estabilidade financeira.  

Aliás, segundo Semep, após a conclusão do ensino superior os alunos formados têm um aumento da renda mensal de 182%, em média. E isso acontece porque a mão de obra especializada continua sendo muito baixa no Brasil.  

Entre os adultos com 25 a 34 anos, apenas 21% desses profissionais possuem o diploma do ensino superior. 

Assim, as empresas passam a dar mais valor na contratação de profissionais qualificados em diversas áreas, desde os setores administrativos até os cargos de gerência.  

Por que fazer um curso superior? 

Estatisticamente os profissionais com uma boa formação superior tendem a conquistar uma renda maior, ao mesmo tempo em que possuem chances de desemprego mais reduzidas, do que os profissionais sem o mesmo grau de instrução.  

Além disso, pesquisas indicam que as pessoas mais estudadas também desenvolvem diversas habilidades que contribuem para o desenvolvimento pessoal e para a formação do indivíduo, apresentando vantagens, como:  

  • Desenvolvimento de rotinas mais estruturadas;  
  • Conquista de uma saúde estável e melhor qualidade de vida; 
  • Aumentos dos níveis de responsabilidade; 
  • Aperfeiçoamento da comunicação interpessoal; 
  • Maior estabilidade no emprego. 

Além disso, os profissionais com estudo superior têm chances maiores de se sentirem completamente satisfeitos com a atuação profissional, afinal eles podem escolher a área que mais se identificam.  

Isso faz com as pessoas se sintam mais realizadas e felizes com a profissão em que atuam. 

Mas para isso, é preciso realizar uma boa pesquisa, considerando bem todas as características do curso e selecionando aqueles que mais combinam com o seu perfil. 

Como escolher o curso ideal 

Em meio a tantas opções disponíveis, escolher um curso de graduação e uma profissão a ser trilhada pode ser uma tarefa bastante desafiadora. Para isso, é necessário realizar pesquisas e saber selecionar a área que melhor se adapta aos seus gostos e habilidades.  

Assim, além de realizar pesquisas como: curso gestão de pessoas, o que é ou o que faz, por exemplo, é preciso compreender quais são as aptidões e competências individuais e quais são os traços da sua personalidade que podem indicar uma boa área de atuação.  

Afinal, se você vai passar vários dias e horas desempenhando uma função, é fundamental que esse cargo te traga algum prazer ou sensação de recompensa. 

Isso tornará a sua vida profissional mais agradável e aumentará as chances da construção de uma carreira mais bem sucedida. 

Por isso é preciso se atentar a questões, como: 

  1. Teste vocacional 

Um dos primeiros passos antes de escolher um curso, como administração financeira faculdade, é compreender quais são as predisposições individuais e em quais áreas de estudo você tem maior facilidade.  

Pois, uma pessoa que possui a inclinação para as ciências humanas pode ter muita dificuldade com o desempenho em áreas de exatas, por exemplo. Por isso, o teste vocacional pode auxiliar na compreensão quanto ao seu perfil e tendência vocacional.  

Contudo, esse teste não precisa – e nem deve – ser considerado uma verdade absoluta. 

Afinal, ainda que o aluno apresente uma propensão a uma determinada área de estudo, se o interesse e curiosidade estiver em um outro setor, como na gestão de recursos humanos o que estuda, isso pode trazer descontentamento com a vida profissional.  

Assim, existem diversos testes vocacionais que podem ser realizados, gratuitamente, de forma online. 

Eles são um bom parâmetro das sugestões profissionais que mais condizem com as suas preferências, por isso, se certifique de ser completamente honesto com as respostas do questionário. 

  1. Teste de personalidade 

Enquanto o teste vocacional tem o objetivo de conhecer as suas habilidades e propensões acadêmicas, o teste de personalidade tem um viés voltado para as características psicológicas, auxiliando na compreensão quanto ao caráter do e ao comportamento. 

O principal objetivo é, portanto, reconhecer o padrão de conduta dos indivíduos frente a uma situação específica. Assim, fica mais fácil identificar quais funções são mais indicadas para aquele tipo de perfil.  

Entre os testes mais populares é possível optar pela avaliação de percepção temática – onde várias imagens são apresentadas de forma que a pessoa conte uma história sobre o que se passa nos desenhos.

Por exemplo, o Teste da Árvore, onde o paciente precisa desenhar uma árvore e através do desenho é definido os traços de personalidade. 

Mas também existem opções que envolvem questionários com afirmações, entre várias outras metodologias. No entanto, os testes mais confiáveis e precisos são aqueles supervisionados por um psicólogo registrado.  

Como definir a melhor faculdade?

Após as devidas análises acerca dos gostos pessoais, das áreas com maiores facilidades de desempenho, nas matérias que mais interessam e o reconhecimento mais aprofundado quanto aos traços de personalidade, fica bem mais fácil escolher o curso que mais gosta.  

Com isso feito, é preciso definir qual instituição de ensino pode oferecer o melhor retorno e a capacitação mais completa. Para isso, é necessário considerar desde os aspectos econômicos e acadêmicos, até as infraestruturas e o suporte disponibilizado ao aluno.  

Por isso, durante o processo de escolha de uma boa faculdade, considere: 

  1. Nota do MEC 

Antes de investir em um curso de empreendedorismo ead ou em um ensino presencial, os alunos devem sempre se certificar se a instituição em questão está sendo devidamente monitorada e regulamentada pelo Ministério da Educação (MEC).  

Isso porque, além de autorizar as universidades a poderem disponibilizar um diploma ao fim do curso, o MEC – assim como o INEP e a CAPES – são responsáveis por avaliar a qualidade das aulas oferecidas.  

Assim, para a distribuição de notas é considerado o desempenho dos cursos, a própria instituição de ensino e a capacitação dos alunos formados. Tudo isso é feito por meio de avaliações, como: 

  • Exame Nacional do Desempenho dos Estudantes (ENAD); 
  • Conceito Preliminar do Curso (CPC);  
  • Conceito do Curso (CC); 
  • Conceito Institucional (CI); 
  • Índice Geral de Cursos da Instituição (IGC).  

Essas notas variam de 1 a 5, sendo que os cursos que recebem notas inferiores a 3 são considerados inadequados e devem ter as condições avaliadas presencialmente pelo MEC. 

Por isso, garanta que o seu curso e escola estejam devidamente ranqueados no site do órgão federal.  

  1. Grade curricular atualizada 

O desenvolvimento tecnológico faz com que o mercado de trabalho se modifique com constância, mudando a forma com que os cargos são desempenhados, os tipos de ferramentas utilizadas e os conhecimentos necessários para o desempenho da função.  

Por isso, antes de se candidatar a uma faculdade de vendas, por exemplo, é crucial se atentar à grade curricular do curso. Esse documento consiste em uma relação de todas as matérias que devem ser apresentadas durante o ensino presencial ou à distância.  

Desta forma, pode-se comparar o currículo de diferentes instituições, analisando a atualidade dos conhecimentos transmitidos, a carga horária de cada disciplina e a qualidade geral da formação oferecida.   

Independente da área escolhida, como o curso de gestão financeira ou comunicação social, examine as matérias obrigatórias – que são essenciais para a formação profissional que podem incluir até aulas de outros cursos, como conhecimento complementar.  

  1. Disponibilização de uma boa estrutura 

A condição da infraestrutura das faculdades é comumente esquecida pelos alunos, na hora de escolher o curso e a instituição de ensino. No entanto, essa característica é fundamental para a formação profissional. 

Isso porque, o aprendizado geral da turma pode ser muito defasado se a aula é disponibilizada em uma sala pequena, superlotada, sem ventilação ou com muito ruído externo. 

Sem contar que a qualidade dos laboratórios e dos softwares disponíveis são essenciais para a aplicação prática dos conhecimentos adquiridos em sala de aula.  

No caso dos alunos que optam por cursos remotos, como a gestão hospitalar ead, essa estrutura diz respeito à plataforma utilizada para a transmissão das aulas online. 

Não apenas isso, mas também a qualidade dos vídeos e do áudio, a disponibilização de materiais escritos e o acervo disponível na biblioteca virtual, bem como, o acesso à biblioteca física caso necessário.  

Por isso, é recomendado que os alunos façam visitas presenciais à instituição de ensino antes de se aplicar no curso, para conhecer as instalações e sanar dúvidas quanto ao ensino à distância. 

Também é necessário fazer as devidas comparações sobre o custo benefício do investimento em um curso gestão financeira ead preço e o ensino presencial. 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog It Business Fórum, site voltado para a veiculação de conteúdos relevantes sobre negócios, startups e estratégias para pequenas, médias e grandes empresas. 

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

JUNTE-SE Á NOSSA LISTA DE SUBSCRITORES

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade